ESTIMA-SE QUE, TODOS OS ANOS, OS OCEANOS SEJAM POLUÍDOS COM CERCA DE 4,8 MILHOES A 12,7 MILHÕES DE TONELADAS DE PLÁSTICOS.

Caderneta Sustentável I A Palhinha de Massa

A Palhinha de Massa

Uma caderneta sustentável? O que é isso? Vamos ter cromos físicos? Não, descansem. Trata-se da nova rúbrica do Reciclar Não Chega!                       

Assim, numa altura em que estamos em confinamento, pretendemos alertar-te para a necessidade de, também neste período, não te esqueceres de que é necessário atuar. Neste sentido, convidámos alguns influenciadores e marcas a dar o testemunho, mostrando-nos que a mudança não é assim tão difícil. 

Seja através da redução do nosso consumo, da alimentação, do apoio à economia circular ou, simplesmente, mostrando à nossa rede o que tem vindo a acontecer naquele que é o NOSSO Planeta.

A marca que hoje damos a conhecer é A Palhinha de Massa.

Caderneta Sustentável I Especial Confinamento (9)

A Palhinha de Massa

1. Como surgiu a ideia de criar a Palhinha de Massa?

A ideia surgiu com a tentativa de se voltar “às origens” das palhinhas, quando há mais de 5 mil anos os Sumérios sorviam a cerveja por uma palhinha, que ajudava a evitar os resíduos dos cereais.
 
Acontece que constatámos que “a palha“, ainda que um produto altamente sustentável e biodegradável, não apresentava as características que o consumidor atual “exige”: durabilidade enquanto bebe a sua bebida, fiabilidade. A palha é muito quebradiça e muito facilmente se estraga a manusear.
 
Após muita pesquisa, muitos testes e de se perceber que o consumo de palhinhas “em escala”, se encontra nos cafés, bares, restaurantes e hotéis, o desafio foi encontrar uma solução que respondesse a este tipo de clientes.
 
Foi na Palhinha de Massa que encontrámos essa solução: 100% biodegradável, descartável, economicamente viável.

2. Quais os valores da marca?

A Palhinha de Massa existe com o propósito de ser um veículo que leva a mensagem da sustentabilidade ao maior numero possível de pessoas.

Há milhares de pessoas que gostam de beber a sua bebida com uma palhinha, então se conseguirmos que estas constatem que há alternativas ao plástico, alternativas sustentáveis, então estamos a cumprir com aquilo a que nos propomos.

Palhinha de Massa

3. Quais foram os maiores obstáculos para a fundação da empresa e desenvolvimento de produto?

Os maiores desafios para mim sempre foram, e continuam a ser, chegar ao mercado. Mas isso porque sou uma pessoa muito positiva e otimista, que acredita que tudo se faz e tudo se ultrapassa.

Posto isto, chegar ao produto atual, encontrar o packaging ideal, minimizar a utilização do plástico (é muito, muito dificil quando se faz expedição por transportadoras), garantir a certificação do produto, foram os maiores desafios.

4. Como tem sido a aceitação do mercado ao vosso produto?

A aceitação tem sido fantástica! Desde cedo e até aos dias de hoje, continuamos a receber muitos elogios e muitos incentivos. O termos mais de 95% dos nossos clientes a repetir a compra é também revelador da aceitação por parte dos seus próprios clientes (consumidor final).

5. O que fazer com as palhinhas de massa depois de usá-las? Têm algumas sugestões?

Bom, há pessoas que simplesmente comem a Palhinha de Massa (há muita gente que gosta de comer massa crua), mas temos clientes que juntam as palhinhas usadas que depois as quebram e espalham em canteiros, por exemplo.

6. Quantas palhinhas de plástico já evitaram terem sido compradas com a vossa oferta?

Até ao dia de hoje, já contribuímos para que cerca de 2 milhões de palhinhas de plástico deixassem de ser utilizadas. É algo que nos deixa muito satisfeitos!

7. Com o confinamento e o fecho de vários cafés/hóteis, sentiram um decréscimo nas vendas no vosso negócio?

Sem dúvida. O nosso negócio é muito sazonal, uma vez que acaba por ser mais na época do Verão que se consomem mais bebidas/cocktails que “requerem” a utilização de palhinhas.
 
Nós começámos em Fevereiro de 2019 e tivemos um ano fantástico! Já 2020….. tivemos uma quebra de quase 100%.

8. O vosso mercado é maioritariamente português ou já exportam para outros países?

É maioritariamente português, mas já trabalhamos com Espanha, França, Suiça e Alemanha.

9. Para quando a entrada deste produto nas grandes superfícies, de modo a estar acessível a mais pessoas?

Já tivemos a abordagem de 2 grandes players mas nunca fizemos muita força para ter esta presença. 

O modelo comercial das grandes superfícies exige um esforço financeiro muito grande que nós não conseguimos acompanhar (prazos de recebimento).

Temos apostado mais na procura de parceiros de distribuição e/ou revenda.

10. Quais os planos para o futuro? As palhinhas de massa com cor continuam a ser equacionadas?

Sim, continuam. Não é um processo facil do ponto de vista produtivo e em alguns casos temos sentido alguma alteração no sabor, o que não é algo que os nossos clientes procurem.

Partilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on twitter

Deixe uma resposta

RECICLAR NÃO CHEGA

The truth is: the natural world is changing. And we are totally dependent on that world. It provides our food, water and air. It is the most precious thing we have and we need to defend it.

David Attenborough