ESTIMA-SE QUE, TODOS OS ANOS, OS OCEANOS SEJAM POLUÍDOS COM CERCA DE 4,8 MILHOES A 12,7 MILHÕES DE TONELADAS DE PLÁSTICOS.

Caderneta Sustentável I Sabrina Coutinho (Cozinha da Saab)

Sabrina Coutinho Cozinha da Saab

Uma caderneta sustentável? O que é isso? Vamos ter cromos físicos? Não, descansem. Trata-se da nova rúbrica do Reciclar Não Chega!                       

Assim, numa altura em que estamos em confinamento, pretendemos alertar-te para a necessidade de, também neste período, não te esqueceres de que é necessário atuar. Neste sentido, convidámos alguns influenciadores e marcas a dar o testemunho, mostrando-nos que a mudança não é assim tão difícil. 

Seja através da redução do nosso consumo, da alimentação, do apoio à economia circular ou, simplesmente, mostrando à nossa rede o que tem vindo a acontecer naquele que é o NOSSO Planeta.

A convidada de hoje é a Sabrina Coutinho mais conhecida pela sua página de Instagram Veggie Saab. Querem conhecê-la? 

Caderneta Sustentável I Especial Confinamento (5)

Sabrina Coutinho Cozinha da Saab

1. Quem é a Sabrina Coutinho?

Sou uma jovem de 20 anos, estudante de ciências políticas e relações internacionais, com uma paixão pela cozinha e pela sustentabilidade.

2. Como surgiu a ideia de lançar o teu Instagram Cozinha da Saab?

Bem a ideia de criar a minha pagina de Instagram surgiu porque, desde que me tornei vegetariana, passei a consumir muito este tipo de conteúdo nas redes sociais onde pude aprender imenso sobre o assunto, e achei que podia adicionar o meu contributo.

Assim, o meu objetivo é tentar ajudar quem queira adotar este estilo de vida e mostrar o quão fácil e acessível é ser vegetariano/vegan.

3. Sabemos que um dos pontos importantes para uma vida mais sustentável é ter uma alimentação plant based. Qual consideras que é o passo mais simples e/ou importante para deixar de consumir alimentos de origem animal?

A meu ver, para fazer qualquer mudança na nossa alimentação é preciso ter uma motivação bastante forte, para que esta seja feita de forma sustentada.

Para mim, a primeira coisa que me fez querer alterar a minha alimentação era a intenção de tentar reduzir a minha pegada no meio ambiente. Como a carne é o alimento com uma pegada ecológica mais significativa, acho que deve ser o primeiro passo neste processo.


Em 2021 ja é muito mais simples encontrar excelentes alternativas à carne que podem tornar esta transição muito mais fácil e deliciosa.

4. Se tivesses de sugerir uma receita vegan para alguém que não estivesse habituado, qual o prato que apresentarias e porquê?

Sempre que tenho de cozinhar para omnívoros tento ter em atenção não usar ingredientes e sabores muito diferentes dos que possam estar habituados e que possam não gostar.

Nestes casos, gosto de apostar em receitas mais básicas e que toda a gente costuma apreciar. Por exemplo, tento veganizar receitas muito conhecidas como bolonhesa ou lasanha. Nestas receitas basta substituir a carne por lentilhas ou alternativas vegan à carne picada que ja existem no mercado.

Com os temperos certos e uma boa receita, às vezes torna-se difícil descobrir que um prato é vegan. Acredito muito na ideia de que é possível conquistar corações e despertar a mudança através do paladar.

5. Alguns jovens gostariam de ter uma alimentação mais plant based. No entanto os pais acabam por ser um entrave tendo em conta o seu desconhecimento na matéria.

Como foi a aceitação dos teus pais quando te decidiste tornar vegana?

Neste ponto considero-me bastante sortuda porque os meus pais deixaram-me tomar as minhas decisões e sempre me apoiaram.

Inicialmente acharam que estava louca e que não iria durar muito tempo, acharam que era só mais uma moda que ia passar. Acho que esta resistência inicial não era por mal, mas apenas porque queriam o meu bem e porque achavam que se não tivesse uma alimentação omnívora ia ficar doente.

No entanto, com o tempo eles tornaram-se mais receptivos e perceberam que isto não ia “passar”. A partir dai começaram a tentar ajudar-me mais e a aprender também a cozinhar refeições vegetarianas.

Hoje em dia, depois de quase 4 anos, ja é um habito, ja é o normal cá em casa. Sou eu que cozinho a maioria das vezes para eles, e eles adoram embora não
sejam totalmente vegetarianos.

6. Ainda te lembras dos comentários dos teus pais em relação à primeira refeição de origem vegetal que lhes preparaste? 

Por acaso não me lembro, mas suponho que tenha sido algo do género: “que horror, essa coisa do tofu sabe a esponja”.

Claro que ao início os meus cozinhados não eram nada de jeito, até porque pouco sabia de cozinha.

Por exemplo, posso dizer que demorei mais ou menos 1 ano a perceber como se cozinhava tofu, de modo a que ficasse comestível.

Como tudo na vida, é preciso treinar e treinar para que as coisas comecem a sair bem. Basta continuar a persistir e a aprender, sem desistir ao primeiro obstáculo.

7. Costumas fazer compras a granel? Se sim, qual o teu feedback?

Bem em relação a compras a granel, na minha zona (Tomar) existem opções muito limitadas, comparando por exemplo com Lisboa. O que costumo fazer para reduzir a minha pegada ecológica é:

  • Levar sempre os meus sacos de pano reutilizáveis quando vou comprar frutas e legumes;
  • Evitar os sacos de plástico descartáveis.
  • Visitar o mercado municipal, onde existem mais opções a granel (exemplo: frutos secos e sementes);
  • Levo saquinhos de pano ou caixas de plástico reutilizáveis para comprar exatamente a quantidade de que realmente preciso.
  • No supermercado o que não consigo encontrar sem embalagem tento sempre prioritizar embalagens em alumínio ou vidro, sendo estas melhores opções do que o plástico.

8. Se pudesses mudar uma coisa no mundo com um impacto ambiental positivo, o que farias?

Se pudesse mudava a ideia enraizada que determinados animais apenas estão neste mundo para nos servir, e dai serem vistos como bens com valor comercial, e todas as consequências ambientais que esta ideia acarreta.

9. Qual o feedback que tens recebido por parte dos teus seguidores na tua página Cozinha da Saab?

Tenho o orgulho de puder dizer que tenho recebido um ótimo feedback na minha pagina. Ainda é uma comunidade pequenina, mas recebo imenso apoio e encorajamento para continuar. Grande parte dos meus seguidores não são vegetarianos nem vegan, mas só o facto de me seguirem indica que estão abertos à mudança e que querem ter um impacto positivo. E é isto que motiva o meu trabalho.

Partilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on twitter

Deixe um comentário

RECICLAR NÃO CHEGA

The truth is: the natural world is changing. And we are totally dependent on that world. It provides our food, water and air. It is the most precious thing we have and we need to defend it.

David Attenborough