ESTIMA-SE QUE, TODOS OS ANOS, OS OCEANOS SEJAM POLUÍDOS COM CERCA DE 4,8 MILHOES A 12,7 MILHÕES DE TONELADAS DE PLÁSTICOS.

Afinal, qual a pegada hídrica dos teus alimentos?

Pegada hídrica alimentos

Ouvimos falar de pegada ecológica mas o conceito de pegada hídrica ainda é pouco conhecido. Está na altura de lhe darmos mais atenção.             

Sabemos que 70% do Planeta Terra é composto por água, mas apenas 3% dela é potável. Significa isto que 67% da água existente é salgada e, na maior parte dos casos, não é utilizada para além de um bom mergulho na praia. Apesar de já existirem locais onde a dessalinização da água do mar já acontece para efeitos de rega ou gastronomia, este cenário ainda é uma excepção à regra. 

Assim, resta-nos ter uma maior percepção relativamente aos recursos hídricos que são necessários para a produção de alguns dos alimentos que mais consumimos. 

Estão preparados?

O que consome mais água?

Para que possas beber uma chávena de café, são necessários 130 litros de água potável. Equivale esta quantidade a 26 garrafões de água. 

3 gramas de chá verde consomem entre 27 a 30 litros (6 garrafões de água).

A resposta a esta comparação varia mediante o tipo de pão que estamos a falar. Assim, se se tratar de uma baguete francesa de 300 gramas, são necessários 155 litros de água. Já um quilo de cevada implica um gasto de 1,420 litros de água

Por fim, de salientar que a pegada hídrica média global do pão é de cerca de 1,608 litros.

Esta não é fácil. Para termos um litro de leite em cima da nossa mesa ao pequeno-almoço, significa que 1,000 litros de água foram gastos para a sua produção. No que toca à produção de apenas um ovo, o valor desce para os 200 litros. 

Esta quantidade de água está igualmente relacionada com o consumo de uma galinha. Um frango com apenas um quilo pode beber mais de quatro mil litros durante o seu período de vida.

No que toca ao chocolate e manteiga, é o primeiro a ter uma pegada hídrica superior.

Assim, um quilo de grãos de chocolate implica um custo de 20,000 litros de água para o planeta. Todo o seu processo de transformação até chegar à nossa mesa no formato de uma tablete apresenta um número sem um final feliz: 17,000 litros (mais do que a carne de vaca).

Já para produzir um quilo de manteiga são necessários mais de 5,500 litros de água.

Qual a pegada hídrica da carne?

Acho que esta não é difícil tendo em conta a quantidade de informação que já foi difundida pelos meios de comunicação. 

A indústria agropecuária é a principal fonte de emissão de metano em Portugal, com valores que ultrapassam aquele que é emitido pelos resíduos depositados em aterros e lixeiras. Assim, em números, 43% do metano produzido no nosso país provém deste setor, sendo as vacas para consumo de carne as principais responsáveis.

Também no consumo de água o gado bovino está à frente do suíno. Assim, para criar um porco de um quilo são necessários 6 mil litros de água. Já a produção de um quilo vaca implica o gasto de 15,400 litros.

Qual a pegada hídrica das frutas?

Boas notícias: as frutas e vegetais são dos alimentos que consomem menos água (salvo algumas excepções).

Neste campo, uma banana tem uma pegada hídrica superior ao de uma maça. Se a primeira necessita de 160 litros de água, a segunda fica-se pelos 125 litros.

Laranja vs Abacate

Com os documentários que já foram lançados sobre abacates, não existem grandes dúvidas nesta comparação. 

Uma das frutas da moda apresenta uma pegada hídrica elevada, sendo um problema em países onde a chuva não abona, como o México. Assim, para produzir um quilo de abacates, são necessários 2,000 litros de água. Já para termos a mesma quantidade de laranjas na nossa mesa, são precisamos de 500 litros.

Qual a pegada hídrica de duas das bebidas mais consumidas em Portugal?

Indo pela lógica, tendo em conta que a cerveja é feita à base de água, seria esta a ter uma pegada hídrica superior. No entanto, estamos enganados. 

Para produzir um litro de vinho são necessários 460 litros de água, enquanto que um litro de cerveja implica um gasto de 155 litros de água.

Este estudo foi realizado pela plataforma Water Foot Print, que considerou Portugal como o sexto país entre 140 com a pegada hídrica mais elevada por habitante. A razão principal? O setor agrícola.

Por fim, e se ficaste preocupado com o consumo de água que está implicado nos teus alimentos, então fica a conhecer 20 dicas para poupares o recurso mais valioso do nosso Planeta.

Partilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on twitter

Deixe uma resposta

RECICLAR NÃO CHEGA

The truth is: the natural world is changing. And we are totally dependent on that world. It provides our food, water and air. It is the most precious thing we have and we need to defend it.

David Attenborough